Terá lugar, no próxima dia 29 de março, na Sala de Atos do ICS, mais uma sessão do ciclo de Seminários Doutorais de Ciências da Comunicação e Estudos Culturais dedicada ao tema “Breaking down intergenerational silences: the case study of current narratives on italian colonial crimes”. Numa iniciativa conjunta do CECS e do Departamento de Ciências da Comunicação, a sessão conta com a participação de Gionavanna Leone, investigadora na Sapienza University of Rome.

Quando as novas gerações nascidas após o fim de uma violência intergrupal entram no fórum democrático, o ensino desses fatos históricos de seu passado nacional, embora ameaçando a imagem positiva de sua identidade social, contribui grandemente para a reconciliação intergrupal. Dependendo do papel específico desempenhado pelo seu grupo, as narrativas históricas de violência nacional passada requerem elaboração ou perda de decência moral, para os descendentes dos perpetradores, ou perda do senso de controlo sobre o próprio destino, para os descendentes das vítimas. No entanto, os silêncios intergeracionais muitas vezes retardam ou até mesmo revertem os processos de reconciliação, impossibilitando a conversão em páginas que ninguém realmente leu.

O silêncio intergeracional sobre os crimes coloniais italianos é um estudo de caso que confirma que o silêncio sobre os fatos históricos relativos a violência massiva é uma ocorrência “banal” nas narrativas intergeracionais. Na sua investigação, Gionavanna Leone explora como os crimes cometidos pelo exército italiano durante a invasão colonial da Etiópia ainda são autocensurados nos atuais livros de história da Itália, assim como observa reações emocionais e cognitivas de jovens universitários quando expostos a uma narrativa auto-sensorial social de longa duração, seja de uma maneira clara e franca, seja de maneira mais leve ou mais evasiva.

Psicóloga e Psicoterapeuta, Gionavanna Leone é também professora associada de Psicologia Social no Departamento de Comunicação e Pesquisa Social (CORIS) da Universidade Sapienza de Roma. Atuou anteriormente (1980-1994) como psicóloga e psicoterapeuta no Hospital S. Spirito, em Roma, onde foi co-fundadora da Unidade para a prevenção do sofrimento psíquico. Posteriormente, de 1994 a 2005, foi investigadora e depois professora associada de Psicologia Social na Universidade de Bari. É membro de várias associações científicas, incluindo a AIP (Associação Italiana de Psicologia – Secção de Psicologia Social), a EASP (Associação Europeia de Psicologia Social), a Sociedade Internacional de Psicologia Política (ISPP). Juntamente com o historiador Luigi Cajani, representou a Itália no Comité de Gestão (MC) da Ação COST IS1205 “Dinâmica social psicológica das representações históricas na União Europeia alargada”.

Revisora de muitas publicações nacionais e internacionais e editora associada do Journal of Social and Political Psychology, atualmente leciona as disciplinas de Psicologia Social e Comunicação, Psicologia Política e Psicologia Comunitária. Os seus principais temas de investigação passam pela reconciliação intergrupal e as narrativas intergeracionais sobre a violência nacional no passado.

Seminário Doutoral com Gionavanna Leone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *