No passado dia 22 de março, os estudantes do Programa Doutoral de Estudos culturais, acompanhados pela Professora Rosa Cabecinhas, empreenderam numa visita guiada por algumas das instituições culturais de maior renome em Braga: o Theatro Circo, a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva e o Núcleo Arqueológico Bracara Augusta.

A visita teve início pelas 10h00, no Theatro Circo, com a apresentação da instituição por parte de Cláudia Leite, Administradora Executiva. Após uma breve e elucidativa narrativa pelos mais de 100 anos deste espaço neobarroco, foi dada a oportunidade aos participantes de conhecerem os palcos que acolhem todo o tipo de expressões culturais. Dois palcos e muitos espaços “onde a magia acontece”. Dos bastidores ao palco principal, onde a ilusão toma conta dos nossos olhos e envolve-nos de dourado. Paulo Brandão, programador cultural da instituição, tomou as honras para explicar a missão vanguardista do Theatro Circo e o que espera deste espaço para os próximos tempos.

Às 12h00 a turma tomou o seu caminho até à Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva onde foi recebida por Cláudia Lopes. Mais do que biblioteca, procura ser um espaço de serviço à comunidade bracarense com diversas atividades que vão de conversas, recitais, exposições, saraus a workshops. Vários pisos e um acervo riquíssimo de literatura para todos os gostos, a par de um convite à descoberta da história com os vestígios da casa judaica e as galerias romanas.

Um aperitivo para a última visita, às 15h00, o Núcleo Arqueológico Bracara Augusta. Uma interpelação dos 2000 anos da romanização guiada pelo conhecimento de Armandino Cunha. Com apoio nos vídeos de realidade virtual, foi possível entender os espaços públicos das termas e do anfiteatro da Cividade, a vida privada na Domus da Escola Velha da Sé e a vivência religiosa através da Fonte do Ídolo, que evoca os deuses autóctones (não romanos), Tongo e Nabia.

Assim se fazem os Estudos Culturais: um passado que desafia, um presente que interroga e um futuro com tudo para dar.

Texto e fotografias: Jorge de Faria Moreira, doutorando em Estudos Culturais, Universidade do Minho
Visita guiada as instituições culturais em Braga

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *