No próximo dia 26 de março, pelas 14h30, na sala de reuniões do ICS, terá lugar uma sessão do Seminário Permanente de Comunicação e Diversidade dedicado ao tema “Discursos sobre cancro: análise a experiências pessoais e estratégias”. Susana de Noronha e Mohammad Rabbani são os convidados.

cartaz

Susana de Noronha lançará o debate sobre “Fazer ciência entre texto e imagem: uma metodologia ilustrada para aceder a cancros e órgãos invisíveis”. Esta proposta de apresentação resulta de uma análise antropológica da experiência de uma mulher portuguesa através do diagnóstico e tratamento de um adenocarcinoma endometrial. O seu conhecimento e a sua narrativa permitem compreender um conjunto específico de problemas de saúde enfrentados por mulheres com neoplasias ginecológicas, entendendo como as percepções de doença, tratamento, corpo, sexualidade, feminilidade, maternidade e resistência estão interligadas. Esta análise também pretende desmantelar estereótipos arraigados, trazendo à discussão um tipo de cancro que, embora frequente, está ausente da discussão pública e das imagens coletivas, sendo igualmente desconsiderado pela Ciência.

Susana de Noronha é antropóloga, Ph.D. em Sociologia e investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, Portugal. Vencedora ex aequo do Prémio CES 2007 para Jovens Cientistas Sociais de Língua Portuguesa e do Prémio Bernardino Machado de 2003 para melhor aluno de Antropologia, pela Universidade de Coimbra. Além de escritora e investigadora, é também letrista e autora de ilustrações científicas, utilizando fotografia, pintura e desenho etnográfico criativo.

Por seu turno, Mohammad Rabbani discutirá sobre “Métodos com significado para os que sofrem de cancro”. Para o investigador, as pessoas entendem o significado de sua existência no contexto de ensinamentos culturais e construções sociais. Mas muitas vezes quando grandes crises ameaçam a sua existência e causam grande sofrimento, são novamente confrontadas com as questões fundamentais da vida e da existência. Em tal situação, as pessoas enfrentam a falta de significado ou um estado de impotência para lidar com a crise, tendendo a reconsiderar todas as possibilidades disponíveis: crenças culturais ou ensinamentos religiosos. Este é o processo de redefinir, re-articular e reproduzir os significados.

Mohammad Rabbani é estudante de pós-doutoramento e investigador no Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, assim como é membro da equipa internacional de projetos em Cultura e Coping da Universidade de Gävle, na Suécia. Concluiu o doutoramento em Políticas Públicas/Ciência Política na Universidade de Teerã, em 2017, com a tese intitulada: “The role of Discourse as a Policy Tool in the Cultural Socialization (A comparative study: Iran and Sweden)”. Atualmente, é especialista em questões relacionadas com a Sociologia, Políticas Públicas, Inovação Social e Estudos Culturais. Além disso, investiga sobre como lidar com a crise, efeitos da teologia islâmica no poder político, Identificação e socialização e sobre a Teoria do controlo social.

A sessão será moderada por Rita Araújo.

Rita Araújo é Ph.D em Ciências da Comunicação e pesquisadora do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade. Interessa-se por Comunicação em Saúde e Jornalismo em Saúde, Fontes noticiosa e Literacia em Saúde. Foi professora visitante no New York City Food Policy Centre, na CUNY School of Public Health – Hunter College e investigadora do projeto europeu Health Reporting Training Project, financiado pela Comissão Europeia.  Foi ainda investigadora de doutoramento no projeto Disease in the News.

Seminário “Discursos sobre cancro: análise a experiências pessoais e estratégias”